05/07/13

INCIDENTE DIPLOMÁTICO - Espanha diz que não precisa pedir desculpas no caso Morales



Espanha diz que não precisa pedir desculpas no caso Morales 

[foto:noticias.terra.com.br]

Avião do presidente boliviano teve que parar na Europa nesta semana. 
Havia a suspeita de que Edward Snowden estaria na aeronave. 



 O ministro de Assuntos Exteriores da Espanha, José Manuel García-Margallo, afirmou que o país não fechou o espaço aéreo ao avião do presidente boliviano, Evo Morales, e por isto "não tem que pedir desculpas" como exigiram vários presidentes sul-americanos. "A Espanha disse que em nenhum caso iria restringir o espaço aéreo e que mantinha vigente a autorização para que o avião pousasse e reabastecesse em Las Palmas", nas ilhas Canárias, onde Morales fez escala na quarta-feira depois de passar várias horas retido no aeroporto de Viena. 

Os presidentes de Equador, Rafael Correa; Uruguai, José Mujica; Argentina, Cristina Kirchner; Bolívia, Evo Morales; Venezuela, Nicolas Maduro, e do Suriname, Desi Bouterse, em Cochabamba. (Foto: Juan Karita / AP Photo)
[foto:Os presidentes de Equador, Rafael Correa; Uruguai, José Mujica; Argentina, Cristina Kirchner; Bolívia, Evo Morales; Venezuela, Nicolas Maduro, e do Suriname, Desi Bouterse, em Cochabamba. (Foto: Juan Karita / AP Photo)]

García-Margallo também pediu calma após o fechamento do espaço aéreo de alguns países europeus ao avião de Morales, que retornava de Moscou a La Paz. "Temos que tentar de alguma maneira acalmar os ânimos, baixar os espíritos e voltar a retomar as relações", disse o ministro ao canal público TVE. 

O presidente boliviano se viu obrigado a fazer uma escala na terça-feira na capital da Áustria, depois que, segundo La Paz, França, Portugal, Itália e Espanha negaram permissão de sobrevoo ante a suspeita de que o avião poderia transportar o fugitivo americano Edward Snowden. Margallo admitiu na entrevista que, a princípio, havia recebido dados claros "claros" de que Snowden estava no avião, mas que depois confiou nas garantias dadas pela Bolívia de que a informação não era correta. "Acredito na palavra dos países amigos e a Bolívia é", afirmou. O incidente provocou uma crise diplomática entre Europa e América Latina.

Fonte:G1.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...