28/05/13

SEGURANÇA DE VOO - FAB tira da pista do Haiti avião que teve pane ao decolar com soldados


FAB tira da pista do Haiti avião que teve pane ao decolar com soldados


Trabalhos em KC-137 que teve acidente no Haiti - foto 2 A M Leon - Minustah-UN via G1


 A Aeronáutica conseguiu retirar da pista do aeroporto internacional de Porto Príncipe, a capital do Haiti, na manhã desta terça-feira (28), o avião que sofreu uma pane ao decolar na tarde de domingo (26) com 143 militares a bordo. 

A tropa retornava ao Brasil após seis meses de trabalho na missão de paz da ONU no Haiti. 

 Um mutirão engenheiros brasileiros, chilenos e equatorianos trabalhou durante toda a madrugada com guindastes para a retirada do aeronave da área. Técnicos avaliam agora se a aeronave poderá continuar operando.

 Desde o acidente, quando uma pane em uma das turbinas provocou fogo e o piloto abortou a decolagem, a aeronave, um KC-137 (Boeing 707), ficou caída na lateral esquerda da pista, que passou a operar com restrições. 

Ninguém ficou ferido.

 O aeródromo do Aeroporto Internacional Toussaint Louverture, em Porto Príncipe, tem apenas uma pista, de asfalto, da qual operam companhias de rotas diárias com destino aos Estados Unidos e Caribe. Um avião de menor porte, C-130 Hercules, chegou a capital haitiana por volta das 22h30 (horário de Brasília) de segunda para trazer ao Brasil os militares do Exército que deveriam retornar ao país no domingo, segundo o centro de comunicação social da FAB. 

 Como C-130 é de menor porte, será necessário mais voos para trazer a tropa de volta. 

O avião decolou, com destino a Manaus (AM), ainda na noite de segunda cerca de 60 soldados a bordo.

 Em Manaus, dois aviões Amazonas C-105 dividiram a tropa: um seguiu para Fortaleza e outro para Brasília e Rio de Janeiro.O C-130 retornou já a Porto Príncipe, de onde decola na noite desta terça com o restante dos soldados.

Trabalhos em KC-137 que teve acidente no Haiti - foto A M Leon - Minustah-UN via G1


 O acidente 

 Técnicos da FAB chegaram ao Haiti no C-130 para acompanhar os trabalhos de remoção do KC-137 e a investigação do acidente. Segundo a FAB, um problema técnico durante a corrida de decolagem obrigou o piloto a abortar. A aeronave derrapou, o trem de pouso dianteiro quebrou e o avião ficou de barriga na grama, na lateral da pista. 

 A aeronave decolava com 143 pessoas (131 passageiros e 12 tripulantes), todos militares do 17º contingente do Exército na missão de paz da ONU no Haiti (Minustah), que retornavam ao Brasil após seis meses de trabalho. 

Os soldados integram o 2º Batalhão do Exército na operação de paz, que encerrou as operações em abril devido à redução de contingente das Nações Unidas. Segundo o coronel Paulo Queirós, da divisão militar do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), que apura o caso, o problema em uma das turbinas provocou a suspensão do voo. A turbina não chegou a explodir, informou o oficial. 

O KC-137 ficou conhecido como Sucatão após servir a presidência da República e ser aposentado. 


 FONTE: G1 (reportagem de Tahiane Stochero)-via:Poder Aéreo/  FOTOS: Minustah – UN, via G1 (fotos de A. M. Leon)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...