09/07/2012

Governo do Uruguai elabora projeto de lei para liquidar a Pluna


Governo do Uruguai elabora projeto de lei para liquidar a Pluna 




 O governo do Uruguai enviou ao seu Parlamento, na tarde de hoje, um projeto de lei para liquidar a Pluna, que na sexta-feira teve a sua operação suspensa por tempo indeterminado. 


 O objetivo é convocar um leilão público para a criação de uma nova companhia aérea de bandeira e manter a conectividade aérea do país, publicou a imprensa uruguaia.

 A expectativa é a de o projeto ser votado ainda esta semana. Segundo os sites dos principais jornais uruguaios, a primeira etapa será leiloar sete aviões da Pluna, avaliados em US$ 135 milhões, de uma frota total de 13 modelos CRJ 900, para 90 passageiros. 

Os outros seis aviões, que foram adquiridos por meio de leasing operacional (arrendamento sem compromisso de compra no final do contrato), serão devolvidos à fabricante canadense Bombardier. 

 O vencedor do leilão deverá assumir parte dos funcionários da companhia. São, ao todo, 900 trabalhadores, sendo que cerca de 200 já foram remanejados para empresas públicas do Uruguai. O jornal “El País” publicou que o governo deve convocar os credores para negociar uma dívida que estaria na casa dos US$ 300 milhões.

 O projeto de lei foi elaborado pelos ministérios da Economia e dos Transportes. Segundo o “El Observador”, a ideia é eliminar a Pluna Ente Autónomo, empresa pública que foi criada para que o governo do Uruguai pudesse deter participação acionária na companhia aérea. O governo uruguaio, acrescenta a publicação, citando fontes anônimas, estaria disposto a ter uma fatia que não fosse superior a 20%.

 Até meados de junho, o governo uruguaio tinha 25% do capital da Pluna. Os 75% restantes estavam nas mãos da Sociedade Aeronáutica Oriental, holding que tinha o fundo argentino Leadgate com dois terços das ações e a canadense Jazz Air com o um terço restante. 

 Após ter aplicado US$ 30 milhões desde 2007, quando assumiu o controle da Pluna, o Leadgate desistiu de continuar investindo na companhia.

O fundo argentino teria de desembolsar pelo menos mais US$ 40 milhões para manter a empresa funcionando. Com a desistência do Leadgate, a Jazz Air passou a ter a preferência para assumir o controle da Pluna. Tinha até o dia 15 de julho para dar uma resposta, mas preferiu não exercer esse direito. Restou ao governo uruguaio determinar a paralisação da Pluna por tempo indeterminado e liquidar a companhia. 

 A associação das agências de viagens do Uruguai estima que pelo menos 15 mil passageiros serão prejudicados com a suspensão da operação da Pluna. São pessoas que aproveitariam o mês de julho para viajar, sendo em torno de 10 mil no Uruguai e os 5 mil restantes no Brasil e na Argentina. 

A Agência Nacional de Aviação Civil divulgou, na sexta-feira, que a Pluna pode ter sua autorização para voar no Brasil cassada, caso não preste a devida assistência aos seus passageiros, no Brasil. A empresa uruguaia também está sujeita à multa de R$ 360 mil. 


Fonte:Valor Econômico-Por Alberto Komatsu | Valor SÃO PAULO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...