07/06/2012

Solar Impulse quebra novo record

Solar Impulse Realiza o 1º voo Intercontinental feito em uma aeronave movida a energia  elétrica


O aventureiro suíço Bertrand Piccard já voou novamente m direção ao livro dos recordes depois de completar o primeiro voo intercontinental do mundo num gigante avião movido a energia solar. 





 Piccard, um experiente balonista de 54 anos, pousou na capital marroquina Rabat, no Aeroporto Rabat Sale, sob a lua cheia na terça-feira, depois de completar uma viagem de 19 horas a partir de Madrid, em seu avião expeimental de fibra de carbono. 


A carga de baterias estava plena, apesar do demorado voo. 

O avião Solar Impulse deve ficar em Rabat durante cinco dias, antes de decolar novamente para Ouarzazate, 530 km (330 milhas) ao sul, onde Marrocos está construindo uma usina de energia térmica solar, que estima-se ser a maior do mundo.




Piccard fez o primeiro voo de balão ao redor do mundo sem escalas há 13 anos.




 O Solar Impulse é um avião tão grande como um Airbus A340, mas tão leve quanto um carro médio. “Simplesmente o voo sobre o Estreito de Gibraltar foi um momento mágico e representa um dos destaques de minha carreira como um aeronauta”, disse Piccard.

 Para se qualificar como um vôo intercontinental, Piccard só tinha de atravessar o Estreito de Gibraltar – 14 km no seu ponto mais estreito – da Europa à África. “O Solar Impulse tem demonstrado que um avião movido a energia solar pode voar dia e noite sem usar combustível. 




O próximo desafio é o de voar ao redor do mundo”, disseram os organizadores no site solarimpulse.com. Piccard decolou de Madrid antes do amanhecer para o vôo de 830 km e precisou de uma máscara de oxigênio para respirar na gelada alta altitude que ele voou, uma altitude máxima de 27.000 pés (8.230 metros), numa velocidade média de 70 km/h.


 “Por uma hora eu tinha a lua cheia à minha direita e eu tive o nascer do sol à minha esquerda e que era absolutamente lindo”, disse Piccard numa entrevista direto do cockpit. “Eu tinha todas as cores do arco-íris no céu e também no solo.” 

A travessia do Estreito de Gibraltar foi um dos pontos mais difíceis da viagem por causa da necessidade de oxigênio e temperaturas que podiam chegar tão baixo quanto 29 graus Celsius negativo.




 Cada um dos motores da aeronave – que tem uma envergadura de mais de 63 metros – carregavam os 400 kg de baterias de polímero de lítio durante o dia, permitindo que a aeronave pudesse continuar voando depois de escurecer. 

“A questão não é usar a energia solar para aviões normais”, disse Piccard, cujo avô foi a inspiração para o personagem Professor Calculus nos quadrinhos Tin Tin. O avô de Piccard, o professor de física Auguste (1884-1962), realizou a primeira exploração da estratosfera, subindo 16 km (10 milhas) num balão de ar quente em 1931.



Fonte:Cavok/Vídeos:Apolikamixitos;AFP-via :Youtube.com
Fotos:AFP;ubergizmo.com;2050publications.com;Redbull.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...