04/06/2012

Comissários pedem para ANAC rever norma


Comissários pedem para ANAC rever norma 


 O Sindicato Nacional dos Aeronautas se reúne, nesta quarta-feira, com representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para pedir a revogação de uma nova norma que contribuiu para a demissão de 190 tripulantes da Gol, na sexta-feira. 

Desde outubro de 2011, a ANAC autorizou a Gol a reduzir de quatro para três o número de comissários do avião 737-700, fabricado pela americana Boeing. 

Com o corte da semana passada, a empresa acumula quase 900 dispensas desde janeiro. O processo de redução de quadro de pessoal da Gol deve se estender até o início do segundo semestre.

 Até lá, a segunda maior companhia aérea brasileira poderá demitir mais cerca de 300 funcionários. Com isso, ela acumulará, desde janeiro, 1,2 mil cortes. Procurada, a Gol informou que "não nega que possa haver mais dispensas".

 A Gol encerrou o primeiro trimestre deste ano com 43 aviões 737-700, de uma frota total de 123 aviões. Esse avião comporta 148 passageiros. A companhia também tem 77 modelos 737-800, para 184 pessoas. 

No dia 31 de outubro de 2011, a empresa foi aprovada no teste de evacuação de emergência do 737-700, com um comissário a menos. "O que facilitou essas demissões foi a decisão da Anac de autorizar a redução de comissários. Vamos tentar reverter essa decisão", afirmou Graziella Baggio, da direção do Sindicato Nacional dos Aeronautas. Segundo ela, é importante ter quatro comissários no 737-700 porque mais pessoas estão viajando, muitas pela primeira vez. Além disso, ela defende que o passageiro tem um serviço de bordo melhor com a quantidade usual de comissários.

 Os cortes que estão sendo anunciados pela Gol fazem parte de uma readequação de tamanho da companhia. A Gol reduziu sua malha de voos em 10%, em meados de abril. 

Também está reduzindo a oferta em até 2% neste ano e vai diminuir o tamanho da frota, que de 150 aviões, no fechamento de 2011, vai chegar a 136 aeronaves, em 2013. Esses números incluem a Webjet, adquirida pela Gol em julho do ano passado. 

 Essas medidas estão sendo tomadas, em grande parte, porque o crescimento da demanda por viagens aéreas está em processo de desaceleração. Depois de três anos consecutivos de expansão consistente no fluxo de passageiros no país (17,65%, em 2009, 23,47%, em 2010, e 15,72%, em 2011), em 2012 a projeção mais otimista, da própria Gol, não ultrapassa 10% de expansão. 

 A Gol acumula 900 dispensas desde janeiro porque demitiu 1,2 mil empregados, de janeiro a abril, mas contratou 700 pessoas no mesmo período, restando um saldo de 500 cortes. Como de janeiro a março a empresa dispensou 200 tripulantes por meio de licenças não remuneradas e demissões voluntárias, são 700 pessoas dispensadas.

 É por isso que, com as 190 demissões de sexta-feira, a Gol acumulou quase 900 cortes. Com mais 300 demissões até o início de julho a companhia terá acumulado 1,2 mil vagas a menos. "A companhia ressalta que está em constante diálogo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas e salienta que manterá o atendimento aos 63 destinos nacionais e 13 internacionais que compõem sua malha", informou a Gol, por meio de comunicado, na sexta-feira. 

 Fonte:Valor Econômico-Por Alberto Komatsu | De São Paulo
Foto:blog-Arquivo aeronáutico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...