28/06/2012

FX-2:Mais uma vez Governo brasileiro adia decisão para compra de novos caças da FAB


FX-2: Mais um capítulo inacabado da novela Latino Americana chamada :"FAB em Busca da aeronave dos sonhos"... 

Mais uma vez Governo brasileiro adia decisão para compra de novos caças da FAB


Apesar de o ministro Celso Amorim (Defesa) ter dito no Congresso que o novo caça da Aeronáutica seria anunciado ainda neste semestre, o governo brasileiro enviou carta aos Estados Unidos, à França e à Suécia pedindo a extensão das propostas até 31 de dezembro. 


 O Brasil, representado pela Aeronáutica, solicita no texto que os três governos e as empresas concorrentes -a Boeing norte-americana, a Dassault francesa e a Saab sueca- mantenham até a nova data os termos, as condições e os valores das propostas concluídas ainda no mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e já atualizadas ao menos duas vezes.

 Enviado via embaixadas em Brasília, no dia 20 de junho, o documento foi assinado pelo brigadeiro Carlos de Almeida Batista Júnior, presidente da COPAC (Comissão Coordenadora do Programa de Aeronaves de Combate), responsável pela avaliação das propostas. 

 Conforme se apurou, a nova postergação ocorre por ser inoportuno anunciar um gasto que pode chegar a ficar entre US$ 6 bilhões e US$ 8 bilhões (R$ 12 bilhões e R$ 16 bilhões) em um cenário de crise internacional e baixo crescimento econômico.

 Esse é mais um dos recuos do Brasil no processo de renovação dos aviões de caça da FAB (Força Aérea Brasileira). 

O primeiro programa, chamado de F-X, no governo Fernando Henrique Cardoso, foi suspenso por Luiz Inácio Lula da Silva em 2005. 

 PROGRAMA


Ao ser retomado, o programa ganhou o nome de F-X2 e praticamente começou do zero, até porque as próprias empresas já tinham atualizado sua oferta de aeronaves. 


Após a eliminação do Sukhoi russo e do Eurofighter Typhoon europeu, sobraram na disputa o Dassault Rafale, o Boeing F-18 e o Saab Gripen. 

O F-X2, porém, não teve melhor sorte do que o original F-X.


Atravessou todo o segundo mandato de Lula, com direito a disputas entre empresas e governos e alguns vexames do Brasil. Quando o então presidente francês Nicolas Sarkozy veio ao Brasil para uma solenidade do 7 de Setembro, o governo chegou a anunciar a opção pelo Rafale. Lula, porém, teve de recuar: o relatório final da FAB ainda estava sendo produzido. 

Quando concluído , o Planalto e a Defesa foram surpreendidos com o resultado: o sueco ficou em primeiro lugar, o norte-americano em segundo, e o preferido da área política, o francês Rafale, em terceiro e último. 



O programa então arrastou-se e foi postergado de vez com a eleição da presidente Dilma Rousseff. 




NOTA DO BLOG: LAMENTÁVEL ... E NOSSA SOBERANIA FICA ONDE?

Ou Seja, nossa soberania virou caso de CPI , Politicagem e brigas para quem fica com a comissão pelo apoio a compra dos aviões !Colocam Fernado Collor como presidente de Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).TA DE SACANAGEM!!! ONDE ESTÃO OS MILITARES?!! JÁ SE VENDERAM TAMBÉM ?!! ISSO JA VIROU UMA PALHAÇADA! Bando de parasitas mercenários, que mau sabem para que serve uma aeronave de combate,ou a expressão "Superioridade Aérea","Soberania",entre outras, li recentemente que um senador do (PT-SP) disse: "que deveríamos usar apenas em "ultimo recurso" a força destruidora do Rafale! ,quem sabe ele prefere optar pela compra de alguns paulistinhas equipado com estilingues! ... SANTA IGNORÂNCIA!!!!! A Dassault vem com esse discursinho para um bando de ignorantes de terceiro mundo,enfatizando a excelência de sua aeronave ,e só sabem dizer que são melhores e tudo mais ,sem apresentar dados estatísticos e compradores satisfeitos! como já disse :os Rafales são aeronaves fora da realidade atual do País que mal consegue manter operacional as sucatas que tem,gastando milhões em Up-grades com aeronaves usadas e sucatiadas por outros paises, é o caso dos F-5 comprados da Jordânia



http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2008/09/f-5-ex-jordania-3.jpg

Só para se ter uma idéia :O governo indiano, que, assim como o Brasil, realiza uma licitação para compra de caças para sua força aérea, pode levar o avião francês Rafale pela metade do preço pago pelos brasileiros. Enquanto o preço pago pelos indianos ficaria em US$ 10 bilhões para 126 caças, o Brasil estaria disposto a pagar R$ 10 bilhões por 36 caças. 


Ou seja, um avião Rafale custaria US$ 79.365.079,36 para a Índia e US$ 157.828.282,82 para o Brasil, aproximadamente o dobro. 


 De acordo com alguns de nossos leitores que infelizmente não quiseram se identificar o Rafale é uma das piores coisas que o Brasil poderia adquirir: veja alguns comentários de nosso leitores: "De acordo com Ozires Silva, o Rafale é um mau negócio para o país, porque os franceses nunca cumprem o que prometem, quando se trata de transferência de tecnologia.


"O Rafale não agrega nada em transferência de tecnologia."


"A prática francesa é aquela da Helibrás, somente montar kits e garantir os empregos, lá na França."


 "Um aspecto que chama atenção é que os Coreanos esperam adquirir 60 caças modernos de quinta geração com um orçamento de 7,86 bilhões, enquanto nosso FX-2 prevê apenas 36 caças de quarta geração por valores bem mais altos, chegam a 10 bilhões de dólares, mesmo considerando a transferência de tecnogia. Percebe-se que corrupção do governo federal chegou ao FX. "


Empresas americanas não participam de nossas licitações federais porque são proibidas por lei de pagarem propina . 


“Nada é tão ruim que não possa piorar”. Em 2011 a Coréia do Sul, abriu concorrência para o seu FX3. Foram classificados: Boeing F-15 Silent Eagle, Typhoon, Lockheed F 35 Lightning II, o russo Sukhoi PAK FA 50. Notem que o Rafale não foi colocado na concorrência da Coreia do Sul. 


Segundo a Dassault, Sarkozy e o ex Ministro da Defesa Nelson Jobim o Rafale é o caça com tecnologia em estado de arte. 


 Só se for com tecnologia em estado de arte abstrata, pois de concreto o Rafale não tem nada, muito menos tecnologia avançada. 


 O Rafale não opera sistema de visão IR, não tem integração com HMD, não tem integração com o sistema de guiagem de armas ar solo não tem radar AESA operacional e tem ainda sérios problemas de sistema de geração de energia, problemas estes que a Dassault ainda não resolveu em uma década (desde 2002) Somos nós brasileiros que vamos pagar com nossos impostos, o custo dessa Jaca, chamada Rafale por 7 mandatos presidenciais. 


 Só para os Bolivarianos Petistas poderem fazer birra infantil com os americanos(F18 SH e Gripen NG), e poderem ganhar uma polpuda propina para o partido. 


 A Dassault foi acusada de subornar e dar mimos a políticos em concorrências internacionais para a venda do caça Rafale que participou. Mesmo assim o caça Rafale por mais de 10 anos perdeu todas as concorrências. 


Só a França o tem e usa. 


 O Rafale esta para ser o grande fracasso da industria aeronautica militar, a mais de 10 anos, ninguém quer comprar a Jaca Rafale.


 E segundo o governo francês, caso o Rafale não ganhe no Brasil a Dassault pode falir.


 Quando se trata de escolher o que é bom para o país ou bom para a politica, prefiro o que é bom para o Futuro do País. 


O Partido do PT ( partido dos trabalhadores) quer ser o Khmer Vermelho do Brasil e o LULA sonha em ser o Fidel Castro do Brasil (Ditador/Presidente vitalicio)." 


 Fonte:Folha de São Paulo reportagem de : Eliane Cantanhêde|Folha -via :CAVOK

3 comentários:

  1. O Brasil atrás de um Saab Gripen NG para a sua frota aérea é uma verdadeira piada de mau gosto, praticamente são os mesmos e velhos JAS-39C, de 2ª geração, monoturbinados, que atuaram há tempos na Líbia, hoje totalmente obsoletos e substituíveis. Se fosse um velho F-16C usado, conforme fez o Chile, certamente estaríamos bem melhores. Para quem estava habituado com hélices ou com os obsoletos “Super”Tucanos T-27, os F-5E/F, os T-26 Xavante, os Mirage 2000, os AMX ou mesmo os McDonnell-Douglas A-4 Skyhawk, com certeza não poderia escolher bem o caça que comporia nossa Força Aérea. O pior de tudo isso é que ainda fazem vídeos enaltecendo nosso poderio aéreo e ridicularizando a FAB diante de outros países. O Brasil não duraria nem alguns segundos diante desses caças de 5ª geração que andam por aí, com radares AESA e miras multipontuais a laser ou infravermelho. Seria um verdadeiro massacre a céu aberto. Nesse FX-2/3 infelizmente falta tudo. O Brasil com o Dassault Rafale F-3 ou o Boeing F/A F-18 “Super” Hornet seria a mesma situação, perderia seu espaço aéreo ao inimigo em pouquíssimo tempo. Estamos em um mundo tecnológico e não há lugar para brincadeiras, principalmente no setor de defesa. Continuar não enxergando essa verdade, é deixar definido que a FAB nunca terá o controle sobre o seu espaço aéreo.

    ResponderExcluir
  2. O Ministro da Defesa, Celso Amorim, precisa mostrar a que veio porquê até o momento não fez nada para justificar sua posição nesse governo. Os Mirage 2000C já não levantam vôo; os F-5M já chegaram ao limite de vida util e os AMX-A1 se arrastam em "upgrade" que já não atingem o objetivo esperado. Resumindo: A FAB se encontra à pé. O mesmo Ministro diz também que só se fala em caças...caças...caças, por quê será que todos só falam nisso? Acho que ainda não caiu a ficha...Acorda Ministro!...

    ResponderExcluir
  3. A inoperância de nosso Ministro da Defesa Celso Amorim, deixa-nos preocupados. A soberania nacional encontra-se à mercê de terceiros há pelo menos 01(um)século. Ser pacifista é uma coisa, mas, ser um equívoco onde se espera ação imediata é uma outra história, bem mais triste, irresponsável e acima de tudo desprovido de patriotismo. Não se deixa um país assim, desprotegido, aberto ao inimigo, seja lá quem for. Com a soberania nacional não se brinca. Com um título dessa natureza, um Ministro da Defesa, se espera sincronismo, ação, presença, tenacidade, objetividade. O Brasil não merece um descaso dessa ordem.

    ResponderExcluir

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...