18/11/13

ACIDENTE AÉREO - Primeiros indícios apontam para falha técnica em acidente de avião na Rússia


Primeiros indícios apontam para falha técnica em acidente de avião na Rússia


 Os primeiros indícios apontam para uma falha técnica como a causa mais provável do acidente no qual morreram 50 pessoas na queda de um avião Boeing 737-500 no aeroporto da cidade russa de Kazan, capital da república da Tartária, no domingo.

 O piloto do aparelho, Rustem Salijov, decidiu abortar a primeira tentativa de aterrissagem e fazer uma segunda, após o que informou à torre de controle do aeroporto que o avião não estava pronto para chegar. 

 O Comitê de Instrução (CI) russo, que abriu uma investigação sobre o acidente, disse que as causas que levaram o piloto a desistir da primeira tentativa de aterrissagem e dar uma segunda volta são desconhecidas. 

 O chefe regional para Transporte do CI, Aleksandr Poltinin, disse que a investigação trabalha com "duas versões principais: uma falha de pilotagem e fatores técnicos". 

 As companhias aéreas Tartária, que exploravam o aparelho acidentado em regime de aluguel da búlgara Bulgarian Aviation Group, asseguraram que o avião estava em boas condições técnicas, e que tinha sido revisado várias vezes no dia do acidente, no qual já tinha realizado outros três voos.

 O Boeing acidentado, o menor da série 737, entrou em serviço em 1990 e a Tartária, que o explorava em conceito de arrendamento desde 2008, era a sétima companhia que o utilizava. 

 Uma jornalista que tinha viajado horas antes do acidente no mesmo avião de Kazan a Moscou disse à televisão russa que os passageiros se assustaram muito devido às fortes vibrações do avião durante a manobra de aterrissagem na capital russa. 

Avião que caiu na Rússia havia sofrido grave acidente no Brasil

[foto:Alexandre Barros - Aviação Brasil]

 O avião que caiu no domingo no aeroporto de Kazan, na Rússia, havia pertencido durante 23 anos a sete companhias aéreas, entre elas a Rio Sul, com a qual sofreu um grave acidente no Brasil em 2001, segundo a imprensa.

 O Boeing 737-500, procedente de Moscou, que caiu no domingo à noite no aeroporto de Kazan e pegou fogo vitimando  todos os seus ocupantes ( 44 passageiros e seis membros da tripulação ), já havia sofrido um acidente no Brasil a muitos anos atrás.

 A aeronave da companhia russa Tatarstan, que fez o primeiro voo em 1990, teve como primeiro proprietário a companhia aérea francesa Euralair Horizons, que fechou em 2005, e a Air France durante três anos, segundo o site AirFleets.fr. 

 Passou então ao controle da Uganda Airlines durante quase cinco anos e depois, durante três anos, pertenceu à brasileira Rio Sul.

 Depois passou pela romena Blue Air e pela Bulgaria Air, antes de ser adquirida pela russa Tatarstan. Em dezembro de 2001, quando pertencia à Rio Sul, sofreu um grave acidente durante o pouso no aeroporto de Belo Horizonte, que não provocou vítimas, segundo a agência Itar-Tass, que cita a imprensa brasileira. 

 Sob forte chuva, o avião, que transportava 108 pessoas, tocou no solo antes da pista, subiu e voltou a cair brutalmente na pista, quando parte do trem de pouso quebrou. 

A aeronave deslizou sobre o motor situado na asa esquerda durante 1,7 km antes de parar.  
O avião passou por profundos reparos antes de voltar a ser colocado em serviço.

 O acidente anterior no Brasil 
  •  Data: 17.12.2001 
  • Aeronave: Boeing 737-53A
  •  Operador: Rio Sul Serviços Aéreos Regionais 
  • Prefixo: PT-SSI C/n / msn: 24785/1882 
  • Primeiro voo: 18.06.1990 
  • Motores: 2 CFMI CFM56-3B1
  •  Ocupantes: 102 passageiros e seis triputantes 
  • Local do acidente: Aeroporto Internacional de Belo Horizonte - Tancredo Neves 
  • Fase: Pouso
  •  Aeroporto de partida: Rio de Janeiro-Santos Dumont, RJ 
  • Aeroporto de destino: Belo Horizonte-Cofins, MG




 Fonte: EFE via UOL Notícias ;AFP via UOL Notícias - Vídeo: AFP -via:desastresaereosnews

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...