28/10/12

Azul prevê expansão de até 25% no ano que vem e sete novos destinos


Azul prevê expansão de até 25% no ano que vem e sete novos destinos 



Por: Guilherme Serodio | Do Rio 

A Azul Linhas Aéreas espera crescer entre 20% e 25% e atingir sete novos destinos em 2013. Para o próximo ano, o foco principal da empresa é a consolidação da união com a Trip. "A gente continua enxergando crescimento [em 2013]", afirmou José Mário Caprioli, presidente da Trip e diretor de operações da empresa resultante da fusão, que se chamará apenas Azul. "Vamos continuar em um ritmo forte, mas, com uma base de 115 aviões, crescer entre 20% e 25% já é um desafio para a gente", disse o executivo, ressaltando que a previsão pode sofrer "ajustes" nos próximos dois meses. 

Em 2012, o faturamento da empresa deve ser de R$ 4,2 bilhões.

 A terceira maior companhia aérea do Brasil estuda ainda a possibilidade de reduzir a tarifa média das passagens nos próximos seis meses a partir da abertura de mais assentos em tarifas promocionais. A redução ajudaria a Azul a manter a liderança em taxa de ocupação, outro objetivo para 2013.

 A Azul tem a maior taxa média de ocupação no país, entre 82% e 85%. "Tanto a fusão [com a Trip] quanto a possível redução de tributos [sobre o preço dos combustíveis] abrem essa possibilidade", disse Caprioli. Atualmente, o combustível representa 35% dos custos da companhia. 

[foto:Valor Econômico]
Regis Filho/Valor / Regis Filho/ValorO executivo conta que o governo tem uma pauta positiva com as aéreas e pode reduzir tributos sobre o querosene de aviação. "Com mitigações fiscais nesse insumo, a gente pode reduzir [o preço das passagens]". Oficializada em maio deste ano, a fusão com a Trip deu capilaridade à Azul. Juntas, as duas companhias alcançam 100 destinos. Em 18 de outubro, a venda de passagens foi unificada nos sistemas das duas empresas, com isso "a fusão começa efetivamente a se tornar uma fusão", afirmou. 

 Caprioli acredita que o mercado brasileiro de aviação civil atravessa um momento de recuperação. "Este ano, o segundo e o terceiro trimestres foram frustrantes para o setor, e para a economia brasileira, mas para 2013 já sinaliza franca recuperação". 

 O executivo afirma ainda que a crise no aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), que ficou fechado por dois dias após um avião com problemas ficar parado na pista, pode tornar o aeroporto mais competitivo. Para ele, o governo sabe da importância de Viracopos e estuda abrir a pista auxiliar para pouso e decolagem, uma demanda antiga da Azul. Entre 85% a 90% dos voos de Viracopos são operados pela companhia.

 O prejuízo da Azul com o incidente é calculado entre R$ 15 milhões e R$ 20 milhões. "Um prejuízo relevante e que impacta negativamente os resultados em outubro", afirmou. O bloqueio da pista fez a empresa cancelar 470 voos.


Fonte:Valor Econômico-Reportagem de :Guilherme Serodio | Do Rio 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por participar e enviar seu comentário

Voar News Agradece pela sua participação

Loading...